A pataca (MOP) é a moeda legal emitida em Macau já há um século. Em 1905 o Governo de Macau atribuiu o direito de exclusividade da emissão de notas em patacas ao Banco Nacional Ultramarino (BNU), tendo sido posta em circulação a primeira emissão em 27 de Janeiro de 1906. A denominação “pataca” deriva de uma então popular moeda em prata que circulava na Ásia, oito reais mexicanos, conhecida pelo nome de pataca mexicana.

IEm 1980, o Governo transferiu a exclusividade do direito de emissão de patacas do BNU para o IEM. Contudo, o BNU continuou a ser a instituição emitente de notas em patacas, pois que ficou como banco agente do IEM. Quando o Governo renovou o contrato de emissão de notas com o BNU em 13 de Outubro de 1995, o Banco da China (sucursal de Macau) passou a partilhar com o BNU o direito à emissão de notas em patacas. Com o estabelecimento da Autoridade Monetária e Cambial de Macau, a autoridade para a emissão de patacas ficaria entre as competências do Governo, o que não se alterou após a criação da RAEM em 20 de Dezembro de 1999.

Pelo sistema de indexação cambial existente, a emissão de patacas está completamente coberta por reservas em moeda externa. Os bancos emitentes têm de entregar na AMCM, um montante equivalente em dólares de Hong Kong, à taxa de HKD1=MOP1.03, contra a aquisição de certificados de dívida não remunerados, que servem de cobertura legal à emissão de notas. Com uma cobertura a 100%, a AMCM assegura a plena convertibilidade da pataca na moeda de reserva, isto é, em dólares de Hong Kong, tendo as duas moedas uma relação cambial fixa. Por outro lado, como o dólar de Hong Kong se encontra indexado ao dólar norte americano (USD), a pataca acaba por estar indirectamente ligada ao dólar norte americano, a uma taxa de cerca USD1=MOP8.


Última revisão: 2016-02-02 09:35:59